Monday, May 27, 2024
InícioIdeaisNo Congo, a raiva dos Red Devils

No Congo, a raiva dos Red Devils

Contundente e hábil é a carta de “todo o staff” da selecção nacional de futebol da República do Congo dirigida, a 11 de Abril, ao ministro dos Desportos. Certos de que a interminável disputa de bónus já não surpreende, à escala do continente africano, e por isso que a compaixão é embotada, os futebolistas iniciam a sua missiva com uma procura de respeito…

É através das redes sociais que o ministério teria anunciado a abolição de um bónus de participação, após o último comício em março, durante o qual os “Red Devils” enfrentaram o Sudão do Sul duas vezes. Uma abordagem digital denunciada como arrogante, desde o início do correio e bem antes de chegar ao fundo da questão financeira.

Strings sensíveis

E os jogadores a fazer vibrar outros acordes sensações como o amor à bandeira ou o caráter sacerdotal de uma carreira esportiva: “Amamos o Congo de todo o coração e temos orgulho em representar as cores da nação (…) Ser futebolista é um trabalho [auquel] consagra-se a vida e o corpo. Corremos riscos em todos os treinos e jogos, sem saber que podem ser os últimos”. Eles até afastarm uma possível suspeita de ganância ao afirmar “gastar” do “bolso” e estimar “que há mais felicidade em dar do que em receber”.

Mais prosaico no resto da carta, mas não sem Recorde-se que tínhamos concordado em baixar o valor dos bónus, os futebolistas do Congo reclamam uma “dívida que se enquadra” nos seus “direitos”. Referindo-se a “atrasos de reembolsos, bónus de funcionários e jogadores e salário do treinador”, deviam ser pagos “o prémio de assiduidade do último estágio”, antes de uma eventual discussão a que se declaram “abertos”. E a questionar: “Estão a pedir-nos resultados no terreno. Mas você faz o que é necessário lá fora? »

Bastante benevolentes, os tweeters estão preocupados com o efeito que esse clima ruim pode ter nos resultados futuros. E, antes de mais, os objetivos de médio prazo relativos ao próximo CAN, cuja fase final decorrerá em cinco cidades marfinenses, de 13 de janeiro a 11 de fevereiro. Para estar presente, os congoles enfrentarão Mali e Gâmbia, em junho próximo.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

Recent Comments